Noite de homenagens aos 100 anos da Sociedade Lírica

O aniversário de 100 anos de fundação da Sociedade Cultural Lírica será no dia 10 de junho, mas as comemorações já acontecem nesta quarta-feira (8), com atrações de acordo com as aspirações de uma das mais tradicionais entidades de Joinville. Sempre em prol da valorização da cultura alemã, a Lírica recebe, a partir das 20h, o projeto Canto Coral Alemão – ano 2, o Grupo Regenbogen, o coral infantil e grupos de dança da própria sociedade e grupos de dança da instituição. Será uma noite de muitas homenagens, música e dança, com entrada gratuita e intérprete de Libras.

Anfitrião do evento, o projeto Canto Coral Alemão é conduzido pelo maestro da Orquestra Prelúdio, Rafael Huch, e nesta segunda edição conta com 45 participantes de diferentes idades. Junto ao pianista Arthur Bandt. eles apresentam um repertório de músicas folclóricas germânicas, quase todas bastante conhecidas do público em geral. O projeto foi contemplado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura e tem patrocínio das empresas Ciser, FCM Montagem e Comércio de Motores Ltda, e apoio da HS Produções Musicais Ltda.

Sociedade Cultural Lírica – Um pouco de história.

Música, dança e teatro foram as principais manifestações artísticas do caminho traçado pela Sociedade Cultural Lírica, que teve início em 10 de junho de 1922, quando Joinville tinha cerca de 40 mil habitantes, época em que a maioria da população dominava o idioma alemão e mantinha os costumes de seus ancestrais europeus. Com o intuito de “cultivar a arte de cantar em grupos” (artigo 1º dos estatutos originais), o grupo de fundadores – parte com nacionalidade alemã e parte já descendente – fez nascer um forte espaço que resistiu aos desafios do tempo. Guiado sempre pela valorização da cultura, a Lírica chega ao século de vida disposta a compartilhar sua história com toda a população.

Nesta trajetória secular, a instituição sobreviveu a diferentes períodos e episódios mundiais marcantes que também fizeram sombra à riqueza da cultura alemã, mas soube se reinventar, garantindo que a memória e a essência do país de origem de muitos ancestrais joinvilenses fossem preservadas. Foi uma das poucas sociedades que sobreviveram diante da Campanha de Nacionalização, em 1938, quando passou a ser proibido o uso do idioma alemão no Brasil.
A Lírica resiste para lembrar quão rica é a cultura germânica, especialmente em sua representativa presença no mundo das artes, berço de inúmeros talentos da música, da literatura, da filosofia e de tantas outras áreas. Uma herança cultural que vai muito além dos tristes anos bélicos em que a desumanidade assolou aquele país.

Quando? 08 de junho. Horário? 20h.
Quanto? Entrada gratuita. Evento com intérprete de libras.
Onde? Sociedade Cultural Lírica. R. Max Colin. Nº1.483, América. Joinville/SC.

Recommended Posts

Nenhum comentário por enquanto!


Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *