AHJ realiza primeira etapa de digitalização do acervo de documentos arquitetônicos

Clique abaixo para ouvir a postagem

O Arquivo Histórico de Joinville iniciou seu processo de digitalização do seu acervo arquitetônico por meio dos projetos “Arquitetura urbana de Joinville:conservação e difusão da série documental e “Projetos Arquitetônicos” do Fundo Poder Executivo (1917-1971)”, custodiados pelo Arquivo Histórico de Joinville/AHJ (Primeira etapa).

Os recursos do trabalho vêm do prêmio de R$ 100.000,00, conquistado através do edital Elisabete Anderle/2019 e da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), na modalidade patrimônio cultural, proposto pela Especialista Cultural do AHJ, Giane Maria de Souza

Dos R$ 100 mil reais do prêmio, 27,5% foi descontado do imposto de renda e com o restante foi adquirido um scanner de grandes de formatos no valor R$ 50.000,00, dois computadores com alta performance para a digitalização, tratamento, edição, analise e descrição dos projetos arquitetônicos, materiais de conservação e restauro e uma mapoteca para o acondicionamento do acervo planificado.

Todos os projetos são analisados e descritos, arquitetonicamente, pela arquiteta e urbanista do Arquivo Histórico de Joinville, Dinorah Luísa Mello de Rocha Brüske, que os encaminha para conservação e restauro, pois se encontram em estado frágil de conservação.

O trabalho da equipe do AHJ, será disponibilizado nas plataformas digitais voltadas para acervos arquivísticos e em terminais de consulta do Arquivo Histórico de Joinville. Em suas etapas posteriores, compreenderá ações educativas, cursos de formação para professores, rodas de conversa e o projeto Pesquisa em Evidência, assim como exposições sobre os documentos arquitetônicos digitalizados.

A disponibilização digital também possibilitará o acesso ao conhecimento dos estilos e técnicas construtivas empregadas em Joinville de 1917 a 1971. E possibilitar pesquisas históricas sobre empresas de construção civil e de projetos que atuaram na cidade como a Empresa Keller e Cia, Construtora Köhntopp, Empresa Max Miers, Ravache, entre outras. Pesquisadores do mundo inteiro terão acesso aos documentos históricos salvaguardados no Arquivo Histórico de Joinville o que facilitará a pesquisa, o intercâmbio e a utilização das fontes históricas, declara a Especialista Cultural, Giane Maria de Souza.

O projeto, sobretudo, auxiliará a Coordenação do Patrimônio Cultural de Joinville (CPC), órgão responsável pela implantação do Inventário do Patrimônio Cultural de Joinville (IPCJ), de acordo com as leis complementares no363 e no366/2011 e com o Plano Municipal de Cultura (PMC). Os resultados científicos do projeto serão apresentados em congressos, simpósios e colóquios de áreas afins como arquitetura e urbanismo, patrimônio cultural, arquivos, educação patrimonial, história, restauro e conservação. Possibilitar esse acesso digital é função social dos arquivos históricos.

Recommended Posts

1 Comment

  1. Giane Maria de Souza

    Muito obrigada pela reportagem!!!


Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *