O musical Princesa Margarida, com Ângela Finardi e Prika Lourenço está de volta

Clique abaixo para ouvir a postagem

Metamorfose Companhia  Cênica, de Joinville, está de volta neste mês de setembro com A Princesa Margarida: um musical brincante  com Ângela Finardi e Prika Lourenço. A montagem tem texto de Augusto Pessôa e direção: Augusto Pessôa e Ângela Finardi. A última vez que o espetáculo esteve em cartaz foi em formato de vídeo, em 2020, em dois eventos online pelo SC Cultura em Sua Casa, e também no Verão Teatral da AJOTE – Associação Joinvilense deTeatro.

O projeto de Circulação do espetáculo A Princesa Margarida: um musical brincante patrocinado pelo Edital 011/2019 SIMDEC está em execução neste mês de setembro. Oito Centros de Educação Infantil do Município receberão apresentações gratuitas em formato de transmissão ao vivo nos dois turnos. Ao todo, serão dezesseis apresentações. Para a comunidade em geral haverá quatro apresentações, sendo três presenciais em espaços abertos, com todos os protocolos de segurança seguidos e uma transmissão ao Vivo.

Sobre o Espetáculo: 
A Princesa Margarida desapareceu! O rei convoca a todos para que venham ajudar a encontrar a princesa. Onde está a Margarida? O espetáculo, com dramaturgia criada a partir da ciranda “Onde está a Margarida” contém muitos elementos dos contos que povoam o imaginário popular, com cantigas e brincadeiras tradicionais. O resgate das brincadeiras populares é o que a montagem propõe de forma bastante interativa. 

Confira a programação e prestigie:
12 de setembro, às 15h – CEU do Aventureiro; 
30 de setembro, às 16h – transmissão no Facebook da AMORABI;
26 de setembro às 10h e às 14h – Museu de Arte de Joinville; 

O que o grupo tem a dizer sobre o espetáculo: 
Augusto Pessôa – autor e diretor convidado: A função lúdica do brinquedo artesanal é muito grande – trabalhando com a criatividade e imaginação. As crianças, ao estabelecerem contato com esses brinquedos, têm oportunidade de vivenciarem desde cedo a sabedoria popular. Esse espetáculo foi criado a partir do texto “A Princesa Margarida” que escrevi para o livro “Histórias de Cantigas”, organizado por Celso Cisto.  

Ângela Finardi – atriz e diretora: Meu encantamento com brincadeiras cantadas se deu na infância, na quadra de minha casa. Brincava com as crianças da vizinhança de roda, de pular corda, de pé de lata e até de carrinho de rolimã. Ao ler o texto de Augusto Pessôa, o desejo de que as crianças pudessem usufruir deste encantamento provocado pelos brinquedos cantados, me motivou a querer criar com o autor/diretor e com Prika Lourenço este espetáculo. Desejo que assim como nós, todos se divirtam! 

Prika Lourenço – atriz e compositora: Este espetáculo trouxe a oportunidade de conhecer as brincadeiras existentes nas cantigas de minha infância e suas variações, quando da pesquisa dos elementos musicais para a composição de linhas melódicas e combinações entre as letras do autor e outras cantigas apresentadas na dramaturgia. Não sabia, por exemplo, que por trás da clássica cantiga “Apareceu a Margarida” havia um brincadeira.   Assim como esta, muitas outras eu desconhecia, e quanto mais inserida neste universo brincante, mais percebia a riqueza dos brinquedos cantados na tradição popular, e que, assim como a Margarida, correm o risco de cair no esquecimento. Este espetáculo traz a possibilidade de resgatar e manter viva a cultura do brincar.

Ficha técnica: 
Texto: Augusto Pessôa 
Direção: Augusto Pessôa e Ângela Finardi
Elenco: Ângela Finardi e Prika Lourenço 
Concepção visual (cenografia e design gráfico): Augusto Pessôa 
Criação de figurino: Augusto Pessôa e Márcio Paloschi
Confecção de Figurino: Marlene Pereira
Assistência de Direção: Isadora Finardi 
Composição da trilha sonora: Prika Lourenço 
Assessoria de divulgação e produção: Ângela Finardi e Prika Lourenço

Para ler mais sobre a companhia:
Facebook: https://www.facebook.com/metamorfoseciacenica/ 
Site: metamorfoseciacenica.com.br
Instagram: @metamorfoseciacenica

Acompanhe o cronograma de apresentações pelo site:
www.metamorfoseciacenica.com.br
Patrocínio: SIMDEC 

Sobre a Metamorfose Cia Cênica: 
Criada em 2003, a Metamorfose Cia Cênica foi atuante até 2010 e teve importante participação na cena teatral joinvilense. Suas principais produções foram: 

Ana, Bel e o Coelhinho que não era de Páscoa – Espetáculo Infantil criado a partir do texto homônimo de Ruth Rocha, Elenco e direção: Ângela Finardi e Sabrina Lermen. O espetáculo estreou em 2003, no Teatro do IELUSC e realizou temporada de 30 apresentações nas escolas de Joinville. 

Abracadágua – Espetáculo Infantil, com texto de Gustavo Finkler. Elenco e direção: Ângela Finardi e Sabrina Lermen. O espetáculo estreou em 2005, na Sala Antonin Artaud / UNIVILLE e realizou temporada de 12 apresentações nas escolas de Joinville, Feira do Livro e Petrobrás. 

S.O.S. – Uma Mulher Só – Espetáculo adulto, com texto de Dario Fo e Franca Rame, trad. Nelma Baldin. Elenco: Ângela Finardi e Sabrina Lermen, direção de Nando Moraes e Lucas David. Estreia em 2006, no Teatro Juarez Machado e temporada de 18 apresentações; Temporada 2007: 12 apresentações; Turnê EmcenaCatarina (SESC) 2008: 12 apresentações; 2009: participação do 36º FENATA, com premiação de melhor atriz para Ângela Finardi e Sabrina Lermen, melhor direção para Lucas David e Nando Moraes, melhor cenografia e figurino para Lucas David, melhor iluminação para Nando Moraes; e indicação de melhor espetáculo. Em 2009: Participação no 14ºFECATE. 

A Metamorfose Cia Cênica interrompeu suas atividades em 2010. Em 2017, a Cia. retoma a cena com O Peixe e o Pássaro – intervenção criada a partir do conto homônimo de Bartolomeu Campos Queirós, com Ângela Finardi e Prika Lourenço e com A Princesa Margarida: um musical brincante, montagem patrocinada pelo  SIMDEC/2017, que tem como temática a cultura popular do brinquedo no Brasil e que realizou até o momento 90 apresentações em Santa Catarina, em teatros, festivais (2º Bonencontro), Feiras do Livro de Joinville, Barra Velha e São Francisco do Sul. BIO (Círculo da Vida), monólogo de Ângela Finardi com dramaturgia coletiva e direção de Sabrina Lermen também integra o repertório da Companhia.

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *