Cruz e Sousa para Todos: uma iniciativa inédita de acessibilidade

Clique abaixo para ouvir a postagem

Uma iniciativa inédita do ator e professor de teatro Robson Benta está levando o poeta catarinense Cruz e Sousa à comunidade surda e a pessoas cegas e de baixa visão, além de chamar a atenção para a necessidade de acessibilidade dos produtos culturais a todos, independente de suas especificidades. O projeto “Cruz e Sousa para Todos: Últimos Sonetos para ver e ouvir”, que conta com a tradução de 48 poemas selecionados do escritor e a produção de um videobook bilíngue (Português/Libras) para apresentar Cruz e Sousa e sua obra para a comunidade surda, além de um audiobook para permitir que pessoas cegas e de baixa visão também tenham acesso ao poeta. Para ler a entrevista com o ator e diretor Robson Benta, clique AQUI.

“Cruz e Sousa para Todos: Últimos Sonetos para ver e ouvir” nasceu do entendimento de que, apesar do poeta ser uma referência brasileira na literatura mundial, muitas pessoas que vivem em Santa Catarina não conhecem seu trabalho, em especial pessoas surdas e cegas que enfrentam as muitas dificuldades de acessibilidade à produção cultural brasileira. Os 48 poemas foram selecionados do livro “Últimos Sonetos”, obra póstuma de Cruz e Sousa, publicada em 1905. O audiobook e o videobook terão cerca de 60 minutos de duração e poderão ser utilizados em práticas pedagógicas inclusivas para estudantes de diversas idades”, comenta o ator.

“O projeto ‘Cruz e Sousa para Todos’ representa o Arte para Todos melhor que qualquer outro. E não só porque é plenamente acessível, mas porque dá oportunidade para as pessoas com deficiência terem horizontalidade nas conversas e nos conhecimentos artísticos e poéticos. Ele permite que entre o fazer do artista e a recepção do público aconteça esta coisa incrível que é a Arte. É um dos projetos mais emocionantes que já promovemos e terá vida longa”, afirma Nathielle Wougles, que é atriz, terapeuta ocupacional e presidente do Instituto de Pesquisa da Arte pelo Movimento – IMPAR, instituição parceira do projeto e que desenvolve desde 2012 o Programa de Formação Cultural Arte para Todos.

Equipe do projeto “Cruz e Sousa para Todos

O lançamento será realizado no dia 15 de maio, com veiculação gratuita pela plataforma do YouTube e em seis lives de divulgação, que serão realizadas de maio a outubro deste ano. O projeto é uma realização do governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultura, com recursos do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura/Artes – edição 2020.

As seis lives de divulgação contarão com a participação de artistas, educadores, profissionais do setor inclusivo, integrantes de conselhos de defesa dos direitos da pessoa com deficiência e representantes de associações de surdos e cegos de diversas cidades, nas seis mesorregiões do estado de Santa Catarina: Norte Catarinense, Grande Florianópolis, Oeste Catarinense, região Serrana, Vale do Itajaí e Sul Catarinense.

Sobre a contrapartida culturaloficina de acessibilidade literária para professores

O projeto tem como contrapartida cultural a realização de duas atividades que serão conduzidas pelo ator e professor de teatro Robson Benta e pela intérprete de Libras, Núbia Amorim: uma oficina de acessibilidade literária para professores de Língua Portuguesa e estudantes de Letras e Pedagogia; e um encontro literário, com leitura dramática de poemas da obra “Últimos Sonetos”, de Cruz e Sousa, destinadas a pessoas idosas com deficiência, acompanhadas de familiares ou tutores. As duas atividades serão realizadas em parceira com o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (COMDE) de Joinville, durante a programação do Setembro Inclusivo.

Inclusão, Racismo e Desenvolvimento Sustentável

O projeto “Cruz e Sousa para Todos: Últimos Sonetos para ver e ouvir” está embasado em um conceito abrangente de combate ao preconceito racial e de defesa da democratização do acesso e dos direitos culturais de pessoas surdas e cegas. A escolha do escritor não ocorreu por acaso. Homem negro, filho de escravos alforriados, o poeta catarinense viveu cercado pela opressão escravista e encontrou na palavra escrita um lugar de liberdade que se coloca para além da cor da sua pele e das dificuldades encontradas. Quase um século depois, o racismo se mostra ainda muito presente na sociedade brasileira, o que torna a produção artística ainda inacessível para um grande contingente de pessoas; e mais ainda para pessoas pretas surdas, cegas ou com alguma outra deficiência.

Quando? Lives de Lançamento. 15 de maio.
Quanto? Gratuito.
Onde? No canal do Youtube Arte para Todos – Teatro e Desenvolvimento Humano. Clique Aqui.
Região Norte Catarinense
18h: Exibição de estreia do videobook e audiobook no YouTube
19h: Live com participação da equipe do projeto e convidados
*Regiões: Grande Florianópolis, Sul, Serrana, Oeste e Vale do Itajaí | Evento mensal, de junho a outubro.

Ficha Técnica
Concepção do projeto: Robson Benta e Iraci Sefeldt
Intérpretes: Robson Benta (Português), Núbia Amorim e Darley Goulart (Libras)
Tradutor e Consultor em Libras: Darley Goulart
Consultor em Audiodescrição: Paulo Suldóviski
Diretor de Fotografia: Hilton Maurente
Cinegrafista: Adriano Maio
Técnico de som: Rafael Vieira
Coordenação Executiva: Iraci Seefeldt
Designer Gráfico: João Carlos Tavares
Fotografia: Iraci Seefeldt, Robson Benta e Hilton Maurente
Assessora de Imprensa: Maria Cristina Dias
Assessoria Editorial: Editora Areia
Assessoria Administrativa: Agência Cultural Aquele Trio
Estúdio de gravação: Estúdio Marcial Records
Edição e Finalização: Mídia Quatro Filmes
Produção Executiva: IMPAR

Recommended Posts

Nenhum comentário por enquanto!


Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *