Banda joinvilense 9 de Espadas ressurge com terceiro disco

Clique abaixo para ouvir a postagem

Em meio ao medo do contágio pelo vírus Covid-19, e a crise econômica generalizada, alem do embate das forças ideológicas que dividem o país, as vezes tudo que precisamos é de um respiro.

É o que propõe o terceiro álbum da banda 9 de Espadas, que parece um sopro de ar fresco. O projeto chega nove anos depois de seu predecessor, desafiando tão caótico cenário com um orgulhoso pop rock romântico assentado nas tendências digitais. “III” é um triunfo pessoal para o quarteto joinvilense nesta retomada da carreira.


As 16 faixas de “III” chegaram às plataformas de streaming em meados de julho, mas sua gestação foi longa e começou três anos atrás. Após lançar dois singles solitários entre 2013 e 2014, os integrantes do 9 de Espadas – Evandro Rathunde (guitarra e vocal) e Deocar Carara (baixo) à frente – resolveram dar uma parada para focar em questões pessoais.


O hiato acabou sendo mais prolongado do que o esperado, mas mesmo assim, a dupla e o multiinstrumentista Fernando Machado, retomaram a banda em 2017 e logo iniciaram os trabalhos do terceiro disco. “Chegamos a compor cerca de 30 músicas para este álbum, mesmo com a pausa, nunca admitimos que a banda acabou ou que paramos de compor”, diz Deocar.


Com exceção das gravações do teclado, comandados por Fernando, enviadas via internet de Munique, na Alemanha, todo o processo de gravação e mixagem aconteceu no estúdio caseiro de Evandro, no bairro Vila Nova.

Foi e está sendo um ano de trabalho intenso, mas livre de pressão, com vários retoques e regravações. “Mas é melhor assim do que atropelar as coisas”, garante Evandro, que assina a produção.


O novo álbum tem a sonoridade intencionalmente marcada por guitarras mais altas do que em “O que vem Depois” (2011), disco produzido por Duca Leindecker que privilegiava o pop acústico. O lado pop permanece, assim como as letras românticas, mas com uma entonação mais positiva e menos melancólica.


A postura mais feroz e positiva influenciou inclusive na escolha do repertório. E é por isso que estão lá faixas como “A Vida é Assim”, “Me Dê Atenção”, “No Espaço”, “Em tuas Mãos” e “Tudo ao Contrário”, diretas, ríspidas e, ainda assim, amorosas. “Esse disco mostra a banda sem filtros”, Evandro concorda.

Clipe em alto mar

Para acompanhar o lançamento de “III”, a banda providenciou um videoclipe para “Quando Você Sorri”. O clima da música cai como uma luva no oceano de imagens captadas pela câmera de um amigo da banda, que gravou a si e à namorada no catamarã construído por ele.

Além dos registros afetuosos do casal às voltas com o barco, o vídeo – disponível há duas semanas no YouTube – traz imagens da natureza exuberante da região de Porto Belo (SC). “Temos planos de fazer algumas produções caseiras para complementar o álbum ”, revela o baixista Deocar. Segundo ele, estar presente nas plataformas digitais, munindo-as com vídeos e regravações (especialmente do primeiro disco), é a forma que banda encontrou de suprir a impossibilidade de divulgar o novo projeto com shows presenciais.


Ironicamente, é neste momento de isolamento social e fora dos palcos que a música da 9 de Espadas pode chegar mais longe. Com a ajuda das redes sociais, o pop rock de de “III” sai de Joinville para agraciar ouvidos mundo afora.

Um pouco de história

A banda 9 de Espadas foi criada em 2008 por Evandro Rathunde (guitarra e vocal), Deocar Carara (baixo e backing vocal), Fernando Machado (guitarra e teclados) e André Vailati (bateria). Nesse mesmo ano foi lançado o disco de estreia, “Entre Cafés e Cigarros”, que o grupo considera seu marco zero.


A boa recepção de “Entre Café Cigarros” levou a 9 de Espadas para a tocar na Rádio Atlântida e a cair na estrada. Foram dezenas de shows pelos três Estados do Sul, em apresentações solo e abrindo shows para artistas renomados como Paula Fernandes, Zé Ramalho, Cidadão Quem, Pouca Vogal, Acústicos e Valvulados, entre outros.


Em 2011, o quarteto aumentou a repercussão com o segundo disco, “O que vem Depois”, produzido por Duca Leindecker (Cidadão Quem, Pouca Vogal) e que conta com a participação especial de Humberto Gessinger tocando gaita de boca na faixa “Um Dia Frio”. O líder dos Engenheiros do Hawaii ainda daria de presente à banda “Delivery”, música que virou single em 2014 e conta com Fernando Deluqui (RPM) nas guitarras.

Foram mais turnês pelo Sul e a presença contínua na Rede Atlântida. Após dois singles postados diretamente nas plataformas digitais, o grupo joinvilense decidiu-se pela parada estratégica, interrompida agora com o lançamento de “III”.

Para ouvir o disco “III”:
Spotify: https://open.spotify.com/album/66lvis4UwmlCvzI2jFbXeJ
Palco MP3: https://www.palcomp3.com.br/9deespadas/
mais Deezer, Google Play, Apple Music e Onerpm (via aplicativo)

Para ver o clipe de “Quando Você Sorri”:
https://www.youtube.com/watch?v=NDHy3pZ9Wm8

Contatos:
Facebook: facebook.com/9deespadas

Instagram: @9deespadas
E-mail: 9deespadas@gmail.com
Fone/whats: (48) 999972-1520 (Deocar)

Fotos: Divulgação

Recommended Posts

Nenhum comentário por enquanto!


Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *