SESC Joinville exibe série de documentários sobre música

Clique abaixo para ouvir a postagem

O SESC de Joinville apresenta, neste final de semana, uma série de documentários brasileiros produzidos recentemente, todos relacionados à música. Os filmes integram a “Mostra SESC de Cinema”, projeto que propõe a circulação e a exibição gratuita em circuito nacional das produções audiovisuais independentes e experimentais. As sessões acontecem nos dias 28, 29 e 30 de junho (quinta, sexta-feira e sábado), têm entrada gratuita e distribuem ao público o catálogo completo da mostra.

A primeira edição do projeto aconteceu há dois anos e recebeu mais de 1200 inscrições, com filmes produzidos em todos os estados brasileiros. Desse primeiro conjunto de filmes, o processo de seleção e curadoria destacou três grandes temas: 1) questões de identidade, gênero, sexualidade, afetividade e psique; 2) conflitos e relações do espaço urbano e 3) arte, artistas e linguagem artística. Os cinco documentários apresentados pelo SESC catarinense nesta edição da mostra misturam filmes dos três grupos temáticos, tendo a música como um assunto comum a todas as produções.

 

DIA: 28 de junho

“Orquestra invisível Let’s dance”, filme de Alice Riff. São Paulo, 2016. 20 min. Documentário. Classificação: Livre.

Sinopse: Seu Osvaldo relembra sua história como primeiro DJ do Brasil pelos bailes de São Paulo num filme embalado pelo jazz, pelo samba e pela black music.

“A batalha de São Braz”, filme de Adrianna Oliveira. Belém, 2016. 27 min. Documentário. Classificação: Livre.

Sinopse: Durante o dia, o Mercado de São Braz é espaço para uma grande feira em torno de um prédio histórico abandonado, construído em Belém nos seus tempos de riqueza. Nos sábados à noite, o lugar dá espaço à Batalha de MCs, quando jovens da periferia belenense se reúnem para improvisar rimas e disputar o título de melhor rapper.

“Levino”, filme de David Alves e Gui Campos. Brasília, 2016. 22 min. Documentário. Classificação: Livre.

Sinopse: Aos 91 anos de idade, Levino de Alcântara, fundador da Escola de Música de Brasília (onde regeu e foi professor por mais de sete décadas) revisita suas memórias e revela os planos que ainda faz para o futuro.

DIA: 29 de junho

“A dama do rasqueado”, filme de Marinete Pinheiro. Campo Grande, 2017. 75 min. Documentário. Classificação: Livre.

Sinopse: O filme resgata a trajetória da cantora Delinha que, juntamente com Délio, criou o gênero musical mato-grossense rasqueado e com base nele projetou toda sua carreira artística. Aos 80 anos, Delinha é dona de uma das maiores discografias da história, cantando a natureza e a cultura da região pantaneira.

DIA: 30 de junho

“Matéria de composição”, filme de Pedro Aspahan. Belo Horizonte, 2013. 82 min. Documentário. Classificação: Livre.

Sinopse: Os produtores do filme entregaram um mesmo vídeo-ensaio a três compositores (Guilherme Antônio Ferreira, Teodomiro Goulart e Oiliam Lanna) e pediram a eles que criassem uma peça musical que dialogasse com o vídeo. Dois anos depois, após acompanhar o processo de composição, ensaios, concerto, gravação e mixagem das músicas, o documentário propõe uma reflexão sobre o processo de criação musical contemporânea e suas relações com o cinema.

HORÁRIO: 19h30
CUSTO: entrada gratuita, sem necessidade da retirada de ingressos
LOCALIZAÇÃO: Teatro do SESC Joinville – r. Itaiópolis, 470, no América

Recommended Posts

Nenhum comentário por enquanto!


Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *