Parceiros Arte na Cuca: Atelier Giza Carla

Clique abaixo para ouvir a postagem

“A arte me salva, a arte me cura”

Giza Carla

Giza Carla é graduada em artes visuais e pedagogia pela Universidade Federal do Pará. É mestre em educação pela Universidade do Estado do Pará, com pesquisas na linha de culturas e processos em educação na Amazônia.  Já fez diversas exposições na cidade de Belém – PA, sendo uma delas no Salão de Pequenos Formatos (Unama) – Universidade da Amazônia.

Trabalha com linguagens relacionadas a arte desde a adolescência, passeia por diversas técnicas desde às clássicas – consideradas por muitos como certo status de “arte legítima”, como a pintura e xilogravura – até o artesanato e trabalhos manuais.  Nas atividades manuais, o destaque fica por conta de peças em crochê e bordados, além da customização de roupas de segunda mão, que tem a atenção e olhar de Giza voltados para as questões ambientais, onde o mais importante é chamar a atenção da sociedade para o consumo consciente.

Para ela, a arte e o artesanato têm sido mais que fonte de renda e de expressar sua criatividade, atualmente é sinônimo de saúde e bem estar. Depois de ser diagnosticada com depressão, o fazer artístico tem sido caminho certeiro no auxílio de seu tratamento e busca pela recuperação.

Morando em Joinville desde agosto de 2018, conversou com a equipe do ARTE NA CUCA sobre suas criações, projetos e também sobre as diferenças e semelhanças que observou na produção artesanal e econômica ligada às artes da região sul e norte do país.

ARTE NA CUCA: Nos fale um pouco sobre quem és. Em que cidade você nasceu, sua profissão e quais são seus sonhos?

GIZA C: Eu nasci em Belém, no Estado do Pará. Minha profissão é professora de arte, mas estou em processo de aposentadoria, e no ano de 2018 decidi morar em Joinville com minha família para realizar um sonho: viver só para produzir arte.

Sou muito eclética, mas ao mesmo tempo muito focada em meus projetos e produção artística. Costumo repetir a frase que ouvi de um artista “Todo artista é o seu próprio artesão”. O artesanato também me inspira a produzir nas artes visuais. A respeito dos sonhos… Quero viver bem, estar bem. Meu sonho está sendo realizado, é viver para a produção artística e buscar inspiração nela para ter minha paz de espírito.

ARTE NA CUCA: Como é o processo de criação das suas peças? Onde você busca inspiração para novas produções?

GIZA C: Trabalho na criação das minhas peças no lugar mais arejado da casa. É um espaço externo, que tem vista para a Serra com uma paisagem muito bonita. Tenho feito muitas flores, árvores e elementos da natureza em minhas peças, procuro me cercar de materiais expressivos que possam vir a contribuir com a minha produção. Isso é o que me inspira.

O processo de seleção de cores e peças está muito ligado às minhas inspirações emocionais. Tem muito do que percebo na sociedade, natureza e na vegetação. As cores que utilizo também têm inspirações da natureza e na própria vida palpável.

ARTE NA CUCA: Você percebe diferenças e/ou semelhanças, no processo de valorização e comercialização de produtos artesanais de Joinville- SC e Belém- PA?

GIZA C: Belém tem uma cultura de feiras artesanais muito fortes. A valorização é um processo que vem com o tempo. Em relação aos preços dos produtos artesanais, o que difere muito entre as duas cidades, é que em Belém a matéria prima chega com os preços muito mais elevados, principalmente por causa do transporte até o norte do país. Isso deixa os produtos com o preço final mais caro, destacando a área de fios, tecidos e tintas. Lá, não há polo industrial nas proximidades, o que dificulta muito.

ARTE NA CUCA: E sua produção em artes visuais, se diferencia muito dos trabalhos artesanais? Como ela acontece?

GIZA C: Em pintura minha arte costuma ser muito expressionista. Produzi uma série de trabalhos em pastel a óleo inspiradas em expressões faciais e cabelos coloridos, que intitulei de “Eu me transformo em outras”.  É um trabalho muito expressivo, relacionado à figura humana e a vegetação. Gosto muito de pintar e desenhar flores e árvores.

Tem alguns trabalhos que levo para as feiras somente para exposição, pois me apego, às vezes porque são muito expressivos e outras porque deram muito trabalho e exigiram tanto de mim, que não quero vender.

ARTE NA CUCA: Como nossos leitores podem entrar em contato para adquirir suas peças?

GIZA C: Podem me contatar nas redes sociais e claro, através da loja virtual do Arte na Cuca. Meus contatos são: 47 989086956 e @gizacarlaatelier

Recommended Posts

Nenhum comentário por enquanto!


Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *