Eneuci Longo faz primeira exposição individual de desenhos no Garten

Clique abaixo para ouvir a postagem

A artista visual Eneuci Longo inaugura nesta segunda-feira, 2 de julho, a exposição “As marcas do tempo”. Composta por desenhos de estilo realista em giz pastel, a mostra marca a estreia individual desta artista natural de Rio Negrinho no circuito de exposições. Com curadoria de Miriam Aparecida da Rocha Joaquim, “As marcas do tempo” pode ser visitada gratuitamente no Shopping Garten até o dia 30 de julho. Ao Arte na Cuca, a artista falou sobre sua formação e sobre a ideia que deu origem à exposição.

 

Arte na Cuca: Como foi o seu início na arte? Quais são as suas principais influências?

Eneuci Longo:  Na década de 1990 comecei a frequentar um ateliê de pintura na minha cidade natal. Lá, usávamos a técnica de óleo sobre tela, com temáticas variadas.  Aprendi muito com a professora e artista plástica Dirlei Damas. Em 2008, na cidade de Videira, frequentei o ateliê da artista plástica Haidi Krischnegg, que me acolheu com muito carinho, sempre me ensinando novas técnicas. Foi só quando fui morar no oeste catarinense, na cidade de Chapecó, que voltei a fazer o que eu sempre amei desde criança – desenhar – e encontrei uma escola de desenhos, a SG Artes Visuais, onde aprendi muito, tive um bom embasamento teórico e muita prática. Participei de exposições juntamente com outros alunos já na linha hiper-realista. Dessas exposições foram lançados livros pela Editora SG Fantasy Art, dentre eles “Um tributo ao Chaves”, uma homenagem ao personagem do seriado mexicano que era exemplo de inocência e ingenuidade próprias de um garoto. O outro livro, “ Lendas”, compreende um conjunto de releituras do folclore, contos e lendas que fizeram parte de nossas infâncias. A partir daí, desenvolvi meus estudos de forma autodidata buscando imagens de figuras humanas na internet, sempre enfatizando o retrato como tema. Em 2016, já morando em Joinville, frequentei o ateliê de pintura da artista plástica joinvilense Denise Schlickmann, onde aprendi a técnica da pintura em acrílica sobre tela. Ingressei, em 2017, no curso de História da Arte na Escola de Artes Fritz Alt da Casa da Cultura, onde permaneço até o momento aprimorando meus conhecimentos a respeito da teoria das artes visuais. Minhas principais influências no desenho são o paulistano Charles Laveso e o espanhol Ruben Belloso, que trabalham com hiper-realismo.

 

AnC: Como surgiu a ideia para a exposição “As marcas do tempo”?

Eneuci Longo:  Eu quis trazer à tona a ideia da beleza da velhice, da dádiva de cada marca expressa no rosto desses velhinhos, das marcas cheias de histórias vividas por eles, da bênção de chegar aos 70, 80, 90 ou mais anos repletos de conhecimentos e experiências.

AnC: Onde você expõe os seus trabalhos e como eles podem ser adquiridos?

Eneuci Longo: Meu trabalho está sendo divulgado no Instagram   @eneuci_arte e para adquirir alguma obra ou encomendar, é só enviar um email para [email protected], que entramos em contato.

 

DIA: 2 de julho
HORÁRIO: 19 horas
VISITAÇÃO: até 30 de julho, das 10 às 22 horas
CUSTO: entrada gratuita
LOCALIZAÇÃO: Garten Shopping – av. Rolf Wiest, 333, no Bom Retiro, em Joinville

Recommended Posts

Nenhum comentário por enquanto!


Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *